Sábado, 19 Agosto 2017 | Login
"A incitação à invasão, à violência, é algo inadmissível em nosso país", Eduardo Iwasse. (Foto Portal Pba) "A incitação à invasão, à violência, é algo inadmissível em nosso país", Eduardo Iwasse. (Foto Portal Pba)

CNA, Faeg e Sindicato Rural de Piracanjuba: Pró Impeachment Destaque

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), diante da gravíssima crise econômica em que vive o país, através do colapso fiscal promovido pela ação do atual governo, se pronunciou favorável ao processo de impeachment da presidente Dilma Rouseff.

Neste domingo (17), são esperados cerca de 500 ônibus mobilizados pela confederação, para irem a Brasília em apoio ao ato.

Acompanhando o atual cenário político brasileiro e diante da declaração de um dirigente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), onde defendeu abertamente a invasão de propriedades rurais, incitando a violência como recurso de pressão política, a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) e o Sindicato Rural de Piracanjuba também decidiram apoiar o processo de impeachment.

O presidente do Sindicato Rural, se pronunciou, destacando sua profunda preocupação com os últimos acontecimentos. “Esta declaração deixou as entidades envolvidas com o agronegócio, bastante preocupadas, tanto a CNA, Faeg, Sindicatos Rurais, quanto às classes dos trabalhadores rurais. A incitação à invasão, à violência, é algo inadmissível em nosso país”, declarou.

Ao PortalPba, Eduardo Iwasse, destacou não ser contrário a reforma agrária. Mas condenou veemente as invasões de propriedades. O presidente do Sindicato Rural lembrou ainda dos inúmeros cursos ministrados nos assentamentos que norteiam o município de Piracanjuba, por acreditar ser uma prática importante entre os dois segmentos.

Ônibus para Brasília

Os moradores de Piracanjuba contarão com um ônibus a disposição para acompanharem o ato em Brasília. As inscrições foram feitas até a última sexta-feira (15), na sede do Sindicato Rural de Piracanjuba.

Votação

O governo perdeu no Supremo Tribunal Federal (STF) sua última cartada para barrar a votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. A votação do processo de impeachment pelo plenário da Câmara está marcada para este domingo (17). Para que o processo seja encaminhado ao Senado, são necessários os votos de dois terços dos 513 deputados, ou 342 votos.

Foto Divulgação
Foto Divulgação
Ler 6041 vezes

Autor

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.